segunda-feira, 2 de setembro de 2019

'Alguém perderá a cabeça', diz Bolsonaro

© Reuters
O presidente Jair Bolsonaro (PSL) ameaçou demitir, nesta segunda-feira (2), o secretário especial de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos da Costa, e o presidente da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial), Luiz Augusto de Souza Ferreira.

Referindo-se a acusações feitas por Ferreira contra Carlos da Costa na revista Veja, Bolsonaro disse que, no mínimo, um dos dois "vai perder a cabeça". A publicação trouxe uma entrevista em que Ferreira acusa o secretário de Produtividade de fazer "pedidos não republicanos". 

"Eu tomei conhecimento, estou louco para saber. Já entrei em contato com o Paulo Guedes [ministro da Economia] e quero saber que pedido é esse. Um dos dois, no mínimo, vai perder a cabeça", disse Bolsonaro. 

"Não pode ter uma acusação dessas. Vão dizer que ele ficou lá porque tem uma bomba debaixo do braço. Não é esse o meu governo. Já determinei para apurar e um dos dois, ou os dois, perderão a cabeça", complementou o presidente. 

Em menos de 24hrs, dois jovens tentam suicídio e dão entrada no Hospital de Serra Branca; um deles está em estado grave

EXCLUSIVO: Um jovem identificado por Matheus Ramos de Farias, morador de São João do Cariri e com 24 anos de idade, tentou tirar a própria vida no final da tarde deste domingo (01).

O jovem sãojoense teria ido visitar os seus familiares na comunidade de Poço das Pedras, zona rural do município, e no momento em que ficou só ingeriu veneno (inseticida) que é usado no plantio de tomate.

Momentos depois de ter ingerido o veneno, o jovem ficou em estado grave, dando tempo ainda de enviar uma mensagem para familiares que foram imediatamente ao local e prestaram socorro, levando-o para o Hospital Regional de Serra Branca.

CAMPANHA: TODOS POR "YGOR RAFAEL": Doe sangue, Doe Vida!


Ygor Rafael, tem 5 aninhos, e luta contra um câncer. 
O guerreiro é de Floresta - PE,  e encontra-se internado na Oncologia, na pediatria do IMIP, em Recife - PE.
VOCÊ PODE DOAR SANGUE EM SERRA TALHADA - PE, É SÓ INFORMAR O NOME DE "YGOR RAFAEL".
 AS DOAÇÕES PODERÃO SER FEITAS: 

CAIXA
CONTA POUPANÇA
AG: 0914
OP: 013
CONTA: 00057332-0
TITULAR: Maria Eduarda Luz Oliveira 

BANCO DO BRASIL 
CONTA CORRENTE
AGÊNCIA: 0870-2
CONTA: 37.569-1
TITULAR: Pedro Henrique do N. Freire
Ygor Rafael 

Blog Sertão News Petrolândia
Fonte: A Família 

Acidente: Motorista morre em colisão frontal entre dois carros na BR-232, no Agreste

Colisão frontal matou o motorista do Uno - Foto: Divulgação/PRF-PE

Um motorista de 32 anos morreu após uma colisão frontal entre um Fiat Uno que conduzia e uma Celta. O acidente ocorreu por volta das 20h15 desse domingo (1º) no quilômetro 197 da BR-232, em Sanharó, no Agreste Pernambuco. O homem morreu no local do acidente e, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista do Celta não foi localizado.

Um passageiro do Celta ficou ferido e foi socorrido para o Hospital de Sanharó. Ainda de acordo com a PRF, pelos vestígios encontrados no trecho onde ocorreu a colisão, o motorista do Celta cruzou a rodovia antes de colidir de frente com o uno. A Polícia Civil esteve no local e vai investigar o caso
Por Portal FolhaPE

Ciclista morre após ser atropelado na BR-101; motorista fugiu do local

Foto: Reprodução / PRF-BA

Um ciclista, de 61 anos, veio a óbito após ser atropelado por um carro em um trecho da BR-101 de Mucuri, no extremo sul baiano. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA), o acidente ocorreu na altura do Km-937 na manhã deste domingo (1°). Conforme informações do G1, o motorista do carro fugiu após o acidente e abandonou o veículo no local.

O ciclista chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos no Hospital São José de Itabatan. As causas do acidente ainda são desconhecidas. 
Via Bahia Notícias

Girassol é símbolo de campanha para alertar sobre depressão

© Shutterstock

Todas as manhãs o girassol parte em busca do sol, seguindo a luminosidade insistentemente, porque precisa dela para crescer e florescer. Mesmo quando o sol está escondido entre as nuvens, a flor gira persistente, apesar da dificuldade, em direção à luz. Em alusão a esse comportamento da natureza, o girassol foi escolhido como símbolo da campanha Na Direção da Vida – Depressão sem Tabu, iniciativa do movimento mundial Setembro Amarelo, que tem o objetivo de abrir o diálogo e alertar a sociedade sobre o tema. 

A campanha conduzida pela Upjohn, uma das divisões de um laboratório farmacêutico focada em doenças crônicas não transmissíveis, em parceria com a Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos (Abrata) e participação do Centro de Valorização à Vida (CVV), trará ações digitais e de rua para combater os estigmas da depressão. O trabalho tem ainda o apoio de músicos, esportistas e influenciadores digitais que já passaram ou passam pelo problema, dividindo suas experiências.

Os usuários de redes sociais serão convidados a postar o ícone do girassol para mostrar que estão dispostos a falar sobre o assunto #depressaosemtabu. Eles também poderão conhecer o site www.depressaosemtabu.com.br, que traz informações sobre o tema e orientações sobre a identificação de comportamentos de risco em pessoas próximas.

Fora da internet, no dia 10 de setembro, Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, um labirinto de dois mil girassóis, com 120 metros quadrados, será montado no Largo da Batata, zona oeste de São Paulo. Quem percorrer o caminho do labirinto acompanhará a jornada do paciente com depressão, desde a dificuldade do diagnóstico até os desafios ao longo do tratamento, como o preconceito ou a sensação de inadequação. A instalação estará aberta das 9h às 18h, até o dia 14. 

“Queremos levar informação às pessoas. Quem visitar o local será convidado a deixar uma mensagem de coragem e apoio aos pacientes. Ao final, essas flores serão recolhidas e doadas para uma organização não governamental, que as transformará em buquês para serem distribuídos a pessoas que estão em tratamento", explicou a neurologista da Upjohn Elizabeth Bilevicius.

Segundo Elizabeth, para tratar a depressão e evitar o suicídio, o primeiro passo é ver a depressão como uma doença que precisa ser tratada. “Precisamos criar uma atmosfera de confiança para o paciente se sentir à vontade para dizer que tem a doença e legitimar o que ele sente como sintoma de algo que pode ser tratado. Essa é uma forma de encorajar a busca por ajuda adequada, criando um entorno social mais empático e melhor informado para ajudar essa pessoa”, disse. 

De acordo com as informações da Upjohn, mais de 90% dos casos de suicídio estão associados a distúrbios mentais e transtornos do humor. A depressão é o diagnóstico mais frequente, aparecendo em 36% das vítimas. O aumento dos casos entre os mais novos e com prevalência entre os homens faz da depressão a quarta maior causa de suicídio entre jovens no país. Outras doenças que podem ser tratadas, como o alcoolismo, a esquizofrenia e transtornos de personalidade, também afetam esses pacientes e por isso afirma-se que o suicídio pode ser evitado na maioria das vezes. 

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o Brasil é o país com maior percentual de depressão na América Latina, chegando a 5,8% da população, o que corresponde a 12 milhões de brasileiros. A taxa é maior do que o valor global, que é de 4,4%. Igualmente maior do que em outros países, a taxa de suicídio entre adolescentes de 10 a 19 anos aumentou 24% de 2006 a 2015. A cada 46 minutos alguém tira a própria vida no Brasil.

O psiquiatra Teng Chei Tung, coordenador dos Serviços de Pronto-Socorro e Interconsultas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (HC-USP) e vice-coordenador da Comissão de Emergência Psiquiátrica da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), explicou que a alta incidência entre os jovens está ligada à grande expectativa externa e interna de que eles se comportem como adultos, mesmo sem ter ainda as habilidades de um adulto, e à pressão de que o adolescente seja pleno, potente, competente e reconhecido.

"Então ele faz as coisas, erra e se frustra. Nessas frustrações os jovens podem entrar na depressão. Os preconceitos são os mesmos e são agravados pela desinformação. Para o jovem existe a influência do pensamento de que a saúde mental é só uma questão social, existencial e psicológica", afirmou. 

Teng disse que sentir tristeza é normal e que a frustração sempre traz alguma tristeza passageira, mas é preciso que as pessoas próximas fiquem atentas para perceber quando esse estado já se tornou uma depressão. Segundo ele, a tristeza é algo que gera introspecção, provoca reflexão e crescimento, mas o deprimido fica introspectivo por vários dias e semanas. 

"Um dos parâmetros é quando há sofrimento excessivo e quando começa a causar real prejuízo. Afeta as relações interpessoais, produtividade no trabalho, ou sofrimento individual, ou seja, a pessoa está sofrendo mais do que que precisaria naquela situação. Não é que não pode ter tristeza e emoção, mas isso não pode prejudicar a pessoa a ponto de afetá-la fisicamente", destacou.

Saúde: Transtorno alimentar de jovens com diabetes preocupa especialistas

© iStock

A busca pelo corpo ideal tem gerado novas vítimas e preocupações médicas. Dessa vez, o alerta vem de endocrinologistas da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD) que têm observado o impacto de um transtorno alimentar relacionado à perda de peso. Trata-se da Diabulimia. O transtorno acomete pessoas com diabetes, sobretudo pré-adolescentes e adolescentes, e baseia-se na omissão ou diminuição intencional das doses de insulina aplicadas, visando o emagrecimento. A prática tem gerado complicações crônicas precoces, perda de massa óssea e até o óbito de pacientes, em casos mais severos.

A endocrinologista e co-coordenadora do Departamento de Doenças Psicossociais e Transtornos Alimentares da SBD, Dra. Claudia Pieper, explica que essa prática atinge, principalmente, as pessoas com diabetes que apresentam dificuldade para o convívio social, autoestima e imagem corporal. Segundo ela, a redução proposital das quantidades de insulinas indicadas pelo profissional de saúde pode acarretar descompensação aguda do diabetes pelo aumento da glicemia e falta de insulina no organismo. “Nas adolescentes, a Diabulimia está ligada a atrasos no crescimento e na puberdade ou irregularidades menstruais. Com o tempo, pode ainda levar à perda de massa óssea e muscular”. A médica aponta que o transtorno alimentar pode também causar complicações crônicas do diabetes precoces, como a retinopatia, nefropatia e neuropatia.

Diagnóstico

“Estabelecer o diagnóstico da omissão da dose de insulina para a perda de peso é um desafio, principalmente porque a diabulimia é mais comum na fase da pré-adolescência e adolescência, onde já existe uma insatisfação com o próprio corpo”, revela a Dra. Pieper.

A especialista acrescenta que, além da investigação da alteração do quadro clínico, a identificação da Diabulimia emprega a observação de mudanças comportamentais. Dentre os sinais de alerta figuram o esquecimento do glicosímetro e/ou não anotação de forma correta dos resultados no diário para levar à consulta; relutar em querer se pesar nas consultas médicas ou da nutrição; estar sempre querendo uma nova dieta, pois geralmente apresentam insatisfação com a quantidade de carboidratos orientada; esconder o momento de se autoaplicar a insulina deixando de colocar a dose prescrita; níveis sempre altos da hemoglobina glicada.

Os pais e familiares também devem observar recorrente ida ao banheiro imediatamente, após as refeições. A ação pode indicar que a pessoas esteja provocando vômitos. A diabulimia, que é deixar de tomar a insulina com o objetivo de perder peso, pode surgir associado a outros transtornos alimentares como a bulimia e anorexia nervosa – fatores que geram hipoglicemias graves, devido à falta de alimentação adequada.

Tratamento

Parapan chega ao fim com campanha histórica do Brasil

Comemoração do Futebol de 5, tetracampeão do Parapan - Foto: Washington Alves/Exemplus/CPB

A delegação brasileira que viajou para os Jogos Parapan-Americanos de 2019 tinha como missão manter a hegemonia do País na liderança do quadro geral de medalhas do evento. Em 11 dias de disputas em Lima, no Peru, os atletas nacionais fizeram muito mais. Quebraram uma enxurrada de recordes, entre eles o de número total de medalhas conquistadas, deixando para trás - com folga - sua então melhor campanha da história, em Toronto-2015. 

Na ocasião, a equipe verde-amarela acumulou 257 medalhas, sendo 109 ouros. Dessa vez, o saldo ultrapassou a barreira das 300 medalhas - 124 ouros, 99 pratas e 85 bronzes. O desempenho, inclusive, é o melhor da história dos Parapans, superando o que o México fez na primeira edição dos Jogos, na condição de anfitrião, em 1999, quando conquistou 307 medalhas.

O Brasil viajou até a capital peruana com a maior delegação entre os Parapans já disputados (513 pessoas, sendo 337 atletas), mas com algumas incertezas. Sofreu a perda do nadador multicampeão André Brasil, considerado inapto para o desporto paralímpico ainda no primeiro trimestre. Viu um cenário duvidoso com a união de algumas classes, provas sem medalha e outras disputas canceladas. Superou tudo com louvor. 

As últimas medalhas brasileiras saíram neste domingo (1º), no ciclismo de estrada, com direito a ouro para o paulista Lauro Chaman, e também no parabadminton, com presença pernambucana no pódio. Natural do Cabo de Santo Agostinho, Abnaecia Silva foi bronze nas duplas mistas ao lado do catarinense Ricardo Cavalli.

Segundo o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Mizael Conrado, a campanha em Lima é ainda mais expressiva se analisado o crescimento de outras nações. Os Estados Unidos, por exemplo, saltaram de 40 ouros em Toronto-2015 para 57 em Lima, enquanto a Argentina foi de 18 para 24 títulos. O Brasil, que foi vice-campeão geral nas duas primeiras edições do Parapan, ambas as vezes atrás do México, tornou-se dominante no evento a partir de 2007 e, desde então, os registros são de crescimento. 

Dentro do sucesso em Lima, contudo, há pontos que deixaram a desejar no planejamento do CPB, como a não classificação do time misto de rugby em cadeiras de rodas e das equipes feminina e masculina do basquete em cadeiras de rodas para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no ano que vem. “A gente vê que é necessário pensarmos um planejamento mais real, mais concreto, talvez uma renovação mais acelerada. Não diria que foi uma decepção, mas a gente realmente acreditava”, disse o chefe da missão brasileira em Lima, Alberto Martins. 

Em contrapartida, natação e halterofilismo superaram as expectativas, com campanhas expressivas. Segundo Martins, a campanha no Parapan é ponto de partida para ajustes no intuito de potencializar resultados visando não só os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no próximo ano, mas também a edição de Paris-2024. “Lima foi um ótimo termômetro para que a gente avalie o caminho que estamos trilhando, se temos que fazer uma revisita ao nosso planejamento pra Tóquio. Na realidade nosso planejamento é para dois ciclos, oito anos, Tóquio e Paris. A gente tinha uma expectativa aproximada e superou um pouco.”

Bom dia Petrolândia, bom dia Nordeste, bom dia Barsi!



Semana da Pátria com Imagens dos desfiles Cívicos em Petrolândia-PE

Mostrando sempre algo diferente nas manhãs nordestina, o Blog Petrolândia em Foco divulga um pouco de tudo que acontece e que existe na região petrolandense, desde á foto especial como a simplicidade do dia a dia nesta área do sertão pernambucano. Isso é Petrolândia, isso é Nordeste, Isso é Brasil. Bom dia 

Datas comemorativas deste dia (02) de Setembro de 2019
Dia do Florista