segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Jovem morre a tiros no bairro Divino Espírito Santo em Trindade, PE

Um jovem de 18 anos foi morto a tiros no domingo (20), no bairro Divino Espírito Santo em Trindade, no Sertão pernambucano. De acordo com a Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE), os moradores da região escutaram os disparos, logo depois, acionaram a polícia. O autor do crime ainda não foi identificado.
A vítima sofreu perfurações no pescoço, cabeça e peito e foram encontrados dois projéteis de calibre 38. Ainda segundo os moradores, há quatro meses, o jovem teria se envolvido em discussões na localidade.
A Polícia Civil de Trindade investiga o caso e está em busca do responsável por cometer o crime.
 Do G1 Petrolina

Itapetim completa dois anos sem água na torneira

No dia 20 de setembro de 2013 as barragens de Caramucuqui e Mãe D’água secaram totalmente, e a partir desta data a Compesa deixou de abastecer a cidade de Itapetim, localizada na cabeça do Pajeú, próxima a nascente do Rio que dá nome à região.
Foto: Pajeú da GenteA partir daí os moradores de Itapetim passaram a receber água transportada por carros pipa e distribuída em caixas espalhadas pela cidade.
Neste domingo, fez dois anos que Itapetim não tem água na torneira. Cerca de 42 caixas de água foram colocadas na sede do município, uma quantia insuficiente para atender a demanda da população.

Por Anchieta Santos

Alckmin reprova impeachment de Dilma por abrir precedente contra estados e municípios

O governador Geraldo Alckmin reuniu oito grandes empresários na noite de quinta-feira (17), revelou nesta segunda o jornal Folha de S. Paulo, e disse a eles que falta motivo para o impeachment da presidente Dilma Rousseff, embora acredite que as crises econômica e política não devam melhorar com a petista no cargo.
O tucano explicou que, se Dilma cair por uma razão como as pedaladas fiscais, haverá precedente para que governadores e prefeitos eleitos sejam afastados. Nenhum governo teria mais segurança jurídica de que terminará o mandato, na visão dele.
Alckmin disse aos empresários no jantar que é preciso “investigar, investigar e investigar” para que o Congresso decida se pedidos de impeachment cumprem exigências constitucionais. 

(Época)

Justiça condena ex-tesoureiro do PT e mais nove no processo da Lava Jato



A Justiça Federal do Paraná condenou à prisão, nesta segunda-feira (21), o ex-tesoueiro do PT, João Vaccari Neto, e mais nove no processo da Lava Jato. 
 
O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque, os delatores Pedro Barusco (ex-gerente da estatal), Augusto Mendonça (executivo da Toyo Setal), o doleiro Alberto Youssef, o operador Mario Goes e o lobista Julio Camargo também foram condenados por desvio na Petrobras.
 
De acordo com o Ministério Público Federal, empreiteiras pagavam propina dentro da Petrobras e a Vaccari para obter os contratos da estatal. Vaccari foi acusado de articular repasses de ao menos R$ 4,3 milhões da propina para o PT, inclusive por meio de doações oficiais. Vaccari foi condenado a 15 anos e 4 meses de reclusão e o ex-diretor da Petrobras a 20 anos e 8 meses. 
 Por Redação Bocão News 
(Twitter: @bocaonews)

Tragédia entre Flores e Carnaíba: Carros se chocam e explodem, passageiros foram carbonizados


Um grave acidente aconteceu esta noite na PE 320 entre Carnaíba e Flores, na altura do sítio Parafina. Segundo testemunhas, um Fiat Uno que seguia no sentido Carnaíba-Flores perdeu o controle depois de zigue zague na pista, capotou e chocou-se na via contrária com uma caminhonete, aparentemente uma S-10.
Todos os ocupantes dos dois veículos, entre três e cinco, morreram carbonizados. Testemunhas relataram que o Uno pode ter saído de Afogados onde os ocupantes teriam participado da Festa das Cores, realizada na cidade.
http://3.bp.blogspot.com/-D2lFr0vy5VI/Vf9xEt_4_wI/AAAAAAABSCo/a6-nS1bnaOQ/s400/IMG-20150920-WA0019.jpg O choque foi tão violento que pouco depois varias explosões foram registradas. Segundo testemunhas ao blog do Nill Júnior, não havia como socorrer as vítimas por conta do fogo. A via ficou interditada com muitos carros parados, pois o fogo e fumaça eram intensos e tomavam toda extensão da pista.
A identificação das vítimas só deverá acontecer após detalhado trabalho do IML através de exame de arcada e DNA, tamanha a dificuldade de identificação dos corpos.
Segundo Lupércio Moraes, que passou pouco depois, nada pode ser feio. “Quando tentamos os aproximar com extintores, começaram as explosões”. Agora, se aguarda a queixa de algum familiar de desaparecidos para iniciar a identificação. Bombeiros e PM estão no local.

Via blogtvwebsertao.com.br

Grave acidente entre Jardim de Piranhas e Brejo do Cruz, na RN-288

Nesse domingo por volta das 9 horas da manhã, foi registrado um grave acidente veicular na RN-288, que liga Jardim de Piranhas a Brejo do Cruz-PB.
O caro era conduzido por Douglas Anderson Gomes Dantas e na sua companhia se encontravam duas garotas, uma delas tinhas 12 anos e outra com 13 anos de idade.
As menores tiveram apenas escoriações pelo corpo, enquanto o Douglas teve fraturas nas pernas e vários hematomas no corpo, o mesmo foi conduzido para H.R.S em Caicó.

Via Blog Jair Sampaio

De volta à cena, Ciro Gomes diz que ‘derrubar Dilma terá preço alto’



Após passar um período, o qual batizou de “desintoxicação da política”, o ex-ministro Ciro Gomes, voltou à cena atirando. Ele acusa a oposição e o vice-presidente Michel Temer de apoiarem uma “escalada do golpismo” contra a presidente Dilma Rousseff. Recém-filiado ao PDT, Ciro diz que o Brasil viverá momentos “tensos” de radicalização política se a Câmara autorizar a abertura do processo de impeachment. O ex-ministro foi lançado, na última quarta-feira (16), pré-candidato à presidência em 2018.
Em entrevista à Folha de S. Paulo, Gomes afirma irá às ruas defender o mandato da presidente, se for preciso. “Estarei na primeira fila. Muitos brasileiros vão se perfilar. Não é para defender a Dilma, é para defender a regra. O impeachment pode ser uma cartase de quem está zangado, mas no dia seguinte os problemas serão os mesmos”, disse.
Segundo o ex-ministro, aponta “má-fé” do senador Aécio Neves e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. “O PSDB está fazendo isso por pura vingança. Em 1999, quando houve  a desvalorização violenta do Real e a popularidade do presidente foi ao chão, o PT começou com o Fora FHC. O comportamento do Fernando Henrique é constrangedor”, critica.
Apesar da defesa, Ciro Gomes faz críticas ao pacote fiscal da presidente. “É ilusionismo, mas 70% não sai do papel. E a medida mais importante [a recriação da CPMF] não podia ter sido sido anunciada daquele jeito. A receita está despencando por causa da recessão que esses malucos estão produzindo. Se o governo não atrapalhasse com a taxa de juros, o Brasil poderia achar o caminho antes do que se supõe. O governo está atrapalhando”, refuta.

Por Redação Bocão News (Twitter: @bocaonews)
Fotos: Alan Marques/Folhapress

A pauta-bomba do Supremo Tribunal Federal


As eleições de 2014 custaram R$ 5,1 bi. As municipais do ano que vem, segundo especialistas, devem custar, no mínimo, em torno de R$ 2 bi. Proibida a doação pelas empresas, com a aprovação pelo Supremo do voto do relator, ministro Luiz Fux, a União é quem vai bancar o pleito. A doação de pessoas físicas foi mantida mas elas são marginais. Na Comissão de Orçamento, seus integrantes garantem que, em tempos de crise, não há nem haverá recursos para sustentar a eleição com dinheiro público. 
A lei eleitoral, que vinha sendo debatida no Congresso, mantinha a doação de empresas. Mas impunha teto para esse financiamento e para o custo das campanhas. Os partidos teriam de reduzir em 30% os gastos. Em 2014, o custo total foi de R$ 5,1 bi. Em 2018, o gasto máximo seria de R$ 3,5 bi. Além disso, haveria a redução com a diminuição da propaganda na TV (35 dias) e do tempo de campanha (45 dias). As empresas teriam teto para doar, 2% da receita no ano anterior. E as que tivessem contratos com governos federal, estadual e municipal ficariam impedidas de doar. Agora, para mudar a decisão do STF, o Congresso terá que aprovar uma PEC. Essa, provavelmente, voltará para exame do STF.

 Lauro Jardim - O Globo